Tribunal de Justiça Catarinense leva a júri popular, motorista que conduzia camionete embriagado, e se negou a fazer o teste do bafômetro e que causou morte em acidente. Leia, comente e siga!

TJ confirma júri popular para motorista que causou morte em acidente

Embriaguez do condutor da camionete, que se negou a fazer o teste do bafômetro.

Fonte: TJSC - Terça Feira, 07 de Agosto de 2012

A 1ª Câmara Criminal confirmou sentença de pronúncia da comarca de Braço do Norte e decidiu que um motorista irá a júri popular por causar acidente que resultou na morte de uma pessoa e ferimentos graves em outra. Ao volante de uma camionete, ele atingiu a traseira de outro veículo que trafegava à sua frente, ao não conseguir fazer uma ultrapassagem. Os policiais que atenderam a ocorrência constataram a embriaguez do condutor da camionete, que se negou a fazer o teste do bafômetro.

O acidente aconteceu em 6 de setembro de 2008, na SC-438. No processo foi registrado que o motorista, em evidente embriaguez e em alta velocidade, tentou fazer uma ultrapassagem perigosa. Como havia um carro vindo em sua direção, retornou à sua faixa de direção e atingiu a traseira de outro veículo, causando a morte do motorista e ferimentos no caroneiro.

Em apelação, o réu pediu absolvição ou desclassificação do crime para homicídio culposo na direção, por não haver provas de dolo eventual. Alegou que, independentemente da velocidade em que dirigia, o acidente aconteceu por culpa exclusiva da vítima que, em estado de embriaguez, saíra do acostamento e cortara a frente de seu carro.

A relatora, desembargadora Marli Mosimann Vargas, observou que testemunhas afirmaram que a vítima adentrara na pista. Porém, considerou que existem indícios suficientes de que o réu conduzia seu veículo sob influência de álcool e em alta velocidade, e não conseguiu completar a ultrapassagem, atingindo o veículo à sua frente ao retornar para a pista de direção. Assim, a desembargadora entendeu não ser possível descartar o dolo eventual.

“De mais a mais, sabe-se que a resolução da dúvida existente acerca do elemento subjetivo do tipo cabe ao Tribunal do Júri, que é competente, por expressa disposição constitucional, para avaliar o fato, o contexto e os demais elementos dos autos, optando pela versão que lhe parecer crível para proferir o julgamento de mérito”, finalizou Mosimann (RC n. 2011.094556-4).


Palavras-chave: acidente; embriaguez; bafômetro; júri

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Camilo Barbosa

Professor universitário: Formação e carreira na docência
  • 1. Formação

    Graduado em Direito pela pela Universidade de Rio Verde (UniRV)

  • 2. Especialização

    Especialista em Direito Processual: Civil, Penal e do Trabalho pela Universidade de Rio Verde (UniRV)

  • 3. Coordenação

    Foi Coordenador do Curso de Direito do Instituto de Ensino Superior de Rio Verde - IESRIVER (Faculdade Objetivo)

  • 4. Docência

    Atualmente é Professor no Curso de Direito da Faculdade Almeida Rodrigues (FAR) e responsável pela divulgação dos cursos da Instituição de Ensino. Foi professor no curso de Direito da IESRIVER (Faculdade Objetivo) durante 15 (quinze) anos (2002/2017) e também professor na Faculdade Quirinópolis (FAQUI).

    800

    mais de 800 acadêmicos

    50

    Publicações, Congressos e eventos jurídicos

    324

    Orientações

    18

    Organizações de eventos e professor convidado

    Siga-me nas redes sociais

    Me envie sua mensagem

    Ou use os meios abaixo para entrar em contato

    • Rua Quinca Honório Leão, nº 1030 Setor Morada do Sol, CEP 75909-030 | Rio Verde, Goiás
    • +55 64 98105-4555
    • camilobarbosavieira@gmail.com
    • http://www.professorcamilobarbosa.com.br/

    Pages